18 outubro 2016

#3 Review - Psicose (Parte 1)


Como prometido, eu assisti o primeiro filme da minha lista de filmes a serem assistidos até o fim do mês: Psycho ou Psicose (em português), um clássico do cinema e do terror do renomado diretor Alfred Hitchcock. A review desse filme ficou muuuito grande, então eu vou fazer em duas partes para não cansar a sua visão, querido leitor!

Ainda não tem spoiler aqui, fique tranquilo!


O filme começa em Phoenix com Marion Crane e Sam Loomis num hotel barato discutindo o futuro da relação dos dois. Eles percebem que estão numa situação complicada já que Marion ainda mora com a mãe e a irmã e Sam, divorciado, está cheio de dividas para pagar.

Marion e Sam num hotel
Marion trabalha como secretária em uma imobiliária. Quando chega lá, um velho esquisito começa a falar coisas aleatórias flertar com Marion e simplesmente lhe dá 40 mil dólares em dinheiro. Era para Marion depositar o dinheiro no banco, maaaasss, como ela queria melhorar sua vida, ela tem a brilhante ideia de roubar os 40 mil dólares. Ela mente para seu chefe, Sr. Lowery e foge. Marion tenta convencer seu namorado, Sam, de ir com ela, porém ele se recusa a ajudá-la nisso. Então, ela parte sozinha para a estrada e dirige por muito tempo. Com medo de pegar no sono dirigindo, ela decide estacionar e dormir. Isso acaba chamando atenção de um guarda na manhã seguinte. Ele faz algumas perguntas para ela como: "o que faz aqui? por que não foi a um motel? por que está com essa cara de assustada?". Marion merecia o prêmio Framboesa de Ouro na categoria "sabe disfarçar um crime". Ela fica visivelmente assustada e faz de tudo para voltar logo para a estrada, o que acaba conseguindo. Depois de um tempo, ela decide parar para comprar um novo carro. O policial a segue e desconfia mais ainda dela. Marion dá seu carro de entrada e mais 700 dólares em dinheiro para o novo veículo e parte com ele sem nem ao menos testá-lo.

Na estrada, começa a chover do nada, ela revolve sair da rodovia principal e encontra um motel chamado Bates Motel. Ela é atendida por Norman, um simpático e tímido homem que lhe dá a chave do quarto 1 (que fica ao lado da recepção) e lhe convida para jantar.
Norman Bates e Marion Crane indo comer
Em cores, o Bates Motel não é tão assustador assim...
Marion aceita, já que a lanchonete mais próxima está a quilômetros de distância. Norman começa a fala sobre seu hobbie que é taxidermia principalmente com aves e fala sobre sua mãe doente da cabeça. Durante a conversa, Norman acaba fazendo Marion mudar de ideia sobre fugir com o dinheiro, então ela decide ficar pela noite e depois voltar para Phoenix. Marion vai para o quarto e Norman a espia tirando a roupa por um buraco na parede (lembrando que o quarto fica do lado da recepção). Ele sai do motel e vai para sua casa, que fica no topo de um morro (parece um morro, sei lá). Marion faz contas em um caderninho para ver quanto dinheiro sobrou. Ela rasga o papel e joga dentro da privada e vai tomar banho.


E aí que começa a cena clássica do filme. Dran, dran, dran, dran... Uma figura escura e irreconhecível mata Marion e foge. Era a mãe de Norman que volta para casa e faz com que seu filho tenha que arrumar sua "bagunça". Ele coloca todas as coisas de Marion em seu carro, inclusive o dinheiro, e o afunda no pântano.


Aguarde o próximo post da parte 2 da review! 

~Gostou do post? Comente o que achou, compartilhe e siga o blog! Em breve teremos um canal no YouTube!



Nenhum comentário:

Postar um comentário