26 abril 2017

Nerve: Um jogo sem regras - Crítica



Oi, gente! Tudo bem com vocês?

Hoje voltei para fazer a critica (sem spoilers, não se preocupe) de um filme de ação e aventura na Netflix chamado Nerve: Um jogo sem limites, 2016, dirigido Henry Joost e Ariel Schulman (o mesmo diretor dos filmes Atividade Paranormal 3 e 4). Antes de falar um pouco sobre o filme, eu convido vocês a dar uma olhadinha no último vídeo do canal clicando aqui.

Eu conheci esse filme essa semana; meu pai começou a assistir e eu já tinha ouvido falar sobre. Então, comecei a acompanhar e acabei gostando da história. O filme gira em torno de Vee (Emma Roberts), uma veterana no ensino médio que decide entrar no jogo Nerve para provar para sua amiga, Sidney (Emily Meade), e para si mesma, que tem atitude.


Nerve é um jogo online onde você pode entrar como "Jogador" e "Observador". No modo "Jogador", o usuário deve realizar os desafios propostos pelos observadores. Os desafios são reais, ou seja, eles precisam fazer coisas na vida real e não online, portanto se um observador lançar o desafio de comprar uma torta e jogar na cara de uma pessoa aleatória na rua, o jogador pode ou não fazer. Tendo cumprido o desafio, o jogador uma alta quantia em dinheiro. Em um de seus desafios, Vee conhece Ian (Dave Franco).



Já no modo "Observador", o usuário somente irá acompanhar os jogadores e, se quiser, pode lançar desafios para eles. A medida que os desafios vão sendo cumpridos, além de ganhar dinheiro, os jogadores vão subindo no ranking, o que chama a atenção de mais observadores.



Vee vai realizando os desafios e aos poucos vai percebendo que o jogo é mais perigoso do que imaginava; os desafios vão ficando cada vez mais tensos até chegar a um ponto que Vee se vê sem saída.

Nerve é um filme médio adolescente que apresenta uma leve crítica a nossa sociedade que vive constantemente conectada à internet. Não é o melhor filme que eu já vi do gênero, é até um tanto bobo e clichê em várias partes, porém não é um filme ruim. Emma Roberts, a protagonista, parece que em todos os filmes ela reprisa o mesmo papel e não inova nas caras e bocas, tampouco em seu personagem. O romance é mediano, mas admito que gostei de Dave Franco no filme (admito também que gosto desse ator). É um bom filme para se assistir de fim de semana com o mozão (ou sozinha, no meu caso). Me lembrou o caso do jogo Baleia Azul (quando a vida imita a arte); não pela parte de suicídio, até porque Nerve não é focado nisso, mas, sim, no fato de ser um jogo com uma série de desafios onde você meio que não pode sair... Vocês vão entender quando assistirem, rsrs. Recomendo.

Nota: ☆☆☆

9 comentários:

  1. muito boa produção e critica feita! parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o filme no ano passado e adorei!
    É sem duvida um bom filme para se ver com amigos numa tarde de domingo!
    Beijinhos :)

    ResponderExcluir
  3. Eu assisti o filme no cinema e gostei bastante do enredo, e realmente é uma critica a tudo que estamos vivendo agora. Inclusive, quando fiquei sabendo da noticia do jogo Baleia Azul, achei bem a cara do filme!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Lembrei bastante do baleia azul assistindo

      Excluir
  4. Sabe que lembrei do tal Baleia Azul.. Porque é um jogo bem perigo e maldoso né?
    Você disse que ele faz critica a sociedade e realmente faz uma super critica, quero assistir o filme.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Acredita que estou com esse livro pra ler faz algum tempo,mas não tinha dado muito bola.
    Mas sua resenha me despertou o interesse, vou tentar ler primeiro e depois assistir o filme.
    Beijo

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
  6. Estava a fim de ver desde que saiu no cinema e acabei me surpreendendo quando vi que saiu logo na netflix, corri para ver e curti bastante! O filme o tempo todo me lembrou o jogo da "baleia azul" por causa dos desafios. Gostei da sua crítica! Beijos! Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  7. Eu também gosto, apesar de ser meio bobo como você disse.Mas sempre que tem alguém perto que nunca assistiu eu faço esse "sacrifício " de assistir rsrs

    ResponderExcluir