03 outubro 2017

A Bruxa de Blair - Crítica


Olá, abigos! Tudo bem com vocês?

Aproveitando a deixa de A Girl Like Her no estilo Found Footage, eu decidi falar um pouco mais desse gênero também conhecido como pseudodocumentário. Por mais que eu não seja fã de terror, decidi enfrentar meu medo e assisti o filme mais famoso e que deu inicio ao genêro: A Bruxa de Blair.


The Blair Witch Project, ou A Bruxa de Blair, é um filme de 1999 com o maior golpe de marketing da história do cinema. A história é simples: três estudantes de cinema vão atrás das histórias e acontecimentos acerca da lenda da bruxa de Blair numa cidadezinha chamada Burkttsville, eles partem para a floresta para achar as covas dos homens supostamente foram mortos pela bruxa, mas acabam se perdendo pela floresta onde são aterrorizados todas as noites. O filme alega que todas as cenas eram REAIS e que os estudantes estavam desaparecidos já fazia um ano.


O longa foi apresentado como um documentário a partir das filmagens dos jovens desaparecidos na época. Hoje em dia, é difícil pensar que um filme possa ter enganado tantas pessoas como esse fez, porém, em 99, vale lembrar que esse estilo não era conhecido na época e o marketing sobre a história foi tão intenso que arrecadou mais que o triplo de bilheteria (lembrando que o filme teve um orçamento baixíssimo).


A Bruxa de Blair se sustenta, basicamente, na improvisação dos atores que realmente viveram situações de pânico causadas pela equipe da produção. O elenco ficou perdido, aterrorizado, passaram fome de verdade dentro da floresta; tudo para que saísse o mais realista possível. A única coisa que era fornecida pela produção era bilhetes do que cada um deveria fazer e um pouco de comida. O longa não possui nenhum tipo de efeito especial e nem trilha sonora, apenas a voz dos atores e sons ouvidos por eles na floresta.


É tenso a veracidade trazida no filme e, ao mesmo tempo, surreal, pois alguns detalhes ficaram subjetivos na trama como, por exemplo, como eles conseguiram manter a câmera rodando por tanto tempo no meio da floresta ou como as filmagens foram recuperadas para seguir a idéia proposta do documentário? Apesar do clima tenso e da proposta, o filme não chega a dar medo tampouco causa algum susto. Eu diria que A Bruxa de Blair só pode ser considerado bom pela jogada de marketing e o terror psicológico que os atores passaram. O elenco se saiu bem nos conflitos criados por improviso.

Diretor: Daniel Myrick e Eduardo Sanchéz

Nota: ⭐⭐

E ai? O que você achou do filme? Comenta aí!

2 comentários:

  1. Já assisti e é muito bom! Serio surreal mesmo esse filme! Amei seu post; Bjs da Leh...

    LEH BLOG ? INSTAGRAM ?

    ResponderExcluir